ARLINDO CRUZ BATUQUES E ROMANCES 2011, Sony Music

É ao som de um pagode – com samba batido na palma da mão – que termina o quinto álbum solo de Arlindo Cruz, Batuques e Romances, posto nas lojas no mês de junho de 2011 pela Sony Music, a nova gravadora do sambista.

Com mais de oito minutos, a derradeira faixa do disco junta em medley os partidos “Batuqueiro” (Arlindo Cruz/Fred Camacho/Marcelinho Moreira) e “Meu Cumpadre” (Élcio do Pagode/Didi do Cavaco). Ao encerrar o disco produzido por Leandro Sapucahy, o medley mostra que Arlindo Cruz – felizmente – continua no seu quintal, no seu lugar de grande sambista do Brasil. O título do CD sugere interação entre a batucada dos tantãs da turma do Cacique de Ramos – semente do samba do artista – e o romantismo do samba mais radiofônico.

Contudo, Cruz não desce ao tom rasteiro dos pagodes românticos que imperam nas rádios. Seu maior caso de amor é o samba, como ele explicita no tema que abre o disco, Como um “Caso de Amor” (André Renato/Ronaldo Barcellos). Verdade seja dita, o samba nem é dos melhores do repertório majoritariamente inédito e autoral de Batuques e Romances.

O romantismo explode com lirismo popular em dois grande sambas, “Quando Falo de Amor” (Arlindo Cruz/Fred Camacho/Almir Guineto) e “Meu Poeta” (Arlindo Cruz/Jr. Dom/Zeca Pagodinho), este gravado com a voz de Zeca, compadre de Zeca e fiel parceiro. Em clima praieiro, o samba “Pelo Litoral” (Arlindo Cruz/Acyr Marques/Rogê) contagia e espanta as tristezas do amor enquanto a primorosa regravação de “Meu Nome É Favela” (Rafael Delgado) – arranjada com maestria por Ivan Paulo – exalta o povo e o cotidiano das comunidades com romantismo.

Sim, o romantismo deste disco de Arlindo extrapola o terreno afetivo. Pode pregar também o amor pela origem suburbana. A paixão pode ser ainda pela fé na força dos valores positivos, propagados em “O Bem” (Arlindo Cruz/Délcio Luiz), outro belo samba deste disco que revolve as tradições do terreiro para evocar o jongo, ritmo seminal impresso em “Mãe” (Carlos Sena/Maurição/Elmo Caetano).

Batuques e Romances apresenta repertório pautado pelo otimismo. O canto e o samba são remédios até para os males de amor, como exposto em “Cantando Eu Aprendi” (Arlindo Cruz/Maurição/Fred Camacho), um dos temas que não chegam a empolgar. Sim, há alguns sambas que soam inferiores à obra do compositor, caso de “Nem Tanto à Terra, Nem Tanto ao Mar“, outra parceria do trio formado por Arlindo com Maurição e Fred Camacho. Dos sambas menores, o ponto mais baixo é “Você É o Espinho e Não a Flor” (Arlindo Neto/Renato Moraes). Contudo, o saldo é positivo. Segunda parceria de Arlindo com Teresa Cristina, “Oferendas” reverencia Yemanjá com beleza, seguindo a linha afro da nascente obra da dupla.

Já “Bancando o Durão” (Arlindo Cruz/Jr. Dom/Maurição) – samba sincopado situado em um salão de gafieira – se diferencia pela inusitada participação de Ed Motta, à vontade no universo popular de Arlindo. “Sargento” (Bada/Pietro Ribeiro/Willians Defensor) é partido alto que esboça crítica social com o mesmo bom-humor que aparece também nos versos de “Cleptomaria“, parceria do sambista com o sempre afiado Nei Lopes.

Enfim, com seus batuques e seu romantismo impregnado de poesia popular, Arlindo Cruz apresenta disco de inéditas coerente com sua já longa caminhada pelos quintais cariocas.
Mauro Ferreira

ARLINDO CRUZ - BATUQUES E ROMANCES - 2011

  1. COMO UM CASO DE AMOR
    (Ronaldo Barcellos / André Renato)
  2. PELO LITORAL
    (Arlindo Cruz / Acyr Marques / Rogê)
  3. QUANDO FALO DE AMOR
    (Arlindo Cruz / Almir Guineto / Fred Camacho)
  4. MEU POETA
    (Arlindo Cruz / Zeca Pagodinho / Júnior Dom)
    Participação Especial: Zeca Pagodinho
  5. MEU NOME É FAVELA
    (Rafael Delgado)
  6. O BEM
    (Arlindo Cruz / Délcio Luiz)
  7. CANTANDO EU APRENDI
    (Arlindo Cruz / Maurição / Fred Camacho)
  8. MÃE
    (Carlos Senna / Maurição / Elmo Caetano)
  9. NEM TANTO À TERRA, NEM TANTO O MAR
    (Arlindo Cruz / Maurição / Fred Camacho)
  10. OFERENDAS
    (Arlindo Cruz / Teresa Cristina)
    Contém a citação: “PRA GENTE SE AMAR”
    (Arlindo Cruz / Acyr Marques / Maurição)
  11. VOCÊ É O ESPINHO E NÃO A FLOR
    (Arlindo Neto / Renato Moraes)
  12. BANCANDO O DURÃO
    (Arlindo Cruz / Maurição / Júnior Dom)
    Participação Especial: Ed Motta
  13. CITAÇÕES
    (Arlindo Cruz / Hélio de La Peña)
    CLEPTOMARIA
    (Arlindo Cruz / Nei Lopes)
  14. SARGENTO
    (Badá / Pietro Ribeiro / Willians Defensor)
  15. BATUQUEIRO
    (Arlindo Cruz / Fred Camacho / Marcelinho Moreira)
    MEU CUMPADRE
    (Élcio do Pagode / Dido do Cavaco)

Sony Music – 88697922322, CD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *