CLAUDIO JORGE coisa de chefe | 2001, Carioca Discos

Indicado para o Grammy latino de 2002 na categoria melhor disco de samba.

Nei Lopes
Vila Isabel, fevereiro, 2001.
A Enciclopédia Brasileira da Diáspora Africana, sonho do autor destas linhas que já está quase virando realidade, consigna: “CLÁUDIO JORGE [de Barros] (1949- ) – Violonista, guitarrista, compositor e cantor nascido no Rio de Janeiro, RJ. Instrumentista de sotaque acentuadamente brasileiro, é frequentemente requisitado para gravações e espetáculos no Brasil e no exterior. Compositor, é parceiro de Martinho da Vila, Cartola, João Nogueira e Nei Lopes, entre outros, em canções gravadas por vários intérpretes da música popular brasileira. A partir do final da década de 1990, tornou-se também conhecido e respeitado como arranjador e produtor musical”.

Evidentemente que, por servirem a um texto de enciclopédia, as informações aí em cima são frias e calculadas. Mas o Cláudio Jorge é muito mais, querem ver só?

Neto e filho de jornalistas boêmios e festeiros, CJ foi picado muito cedo pelo vírus da música. E, rapazola ainda, já estava ele abraçado ao violão, com o qual acompanhou, inclusive, Ismael Silva e Clementina de Jesus. Foi esse violão que levou CJ ao exterior, tocando com Sivuca, para ter sua arte admirada na Europa, na África, nos Estados Unidos e no Japão. Arte de músico solista e acompanhante que mereceu elogios de gente como, por exemplo, o gaitista Toot Stileman. E que, nos anos 70, o levou ao disco, em uma gravação na Alemanha, ao lado de Sebastião Tapajós e Joel Nascimento, e em outra brasileira, pela antiga Odeon, na qual também soltava a voz.

Mas, ao mesmo tempo em que aparecia e se internacionalizava, participando, inclusive, do CD “BRASILEIRO”, de Sérgio Mendes, premiado com o Grammy, CJ, na parceria com João Nogueira, voltava ao seu quintal suburbano, do Cachambi. E pela mão de Martinho da Vila chegava à avenida.

Pois há mais de dez anos, é de CJ o violão que, na avenida, dá o tom e a harmonia para os sambas da Unidos de Vila Isabel. E essa aproximação acabou, obviamente, levando-o a integrar a ala de compositores da escola, com orgulho e vibração.

O CD que agora tenho a alegria de apresentar é, de fato, “COISA DE CHEFE”. Porque ser “chefe”, no dialeto da “terra de Noel” é fazer bem aquilo a que a gente se propõe.

Cláudio Jorge, meu parceiro em dezenas de composições, como também o é, talvez com menos freqüência, de Wilson das Neves, Luiz Carlos da Vila, Ivan Lins, Aldir Blanc, Martinho e tanta gente boa, é um grande compositor, tão bom melodista quanto letrista. E é músico de verdade, brasileiríssimo em sua arte, além de um combatente nas lutas de nossa profissão.

Com um vasto time de amigos músicos e talentosos, cercou-se deles para fazer este disco, cuja ficha técnica reúne nomes como Alceu Maia, Armando Marçal, Camilo Mariano, Carlos Malta, Carlinhos Sete Cordas, Cláudia Telles, Dirceu Leite, Fernando Merlino, Ivan Machado, Jamil Joanes, Leny Andrade, Marcelinho Moreira, Niltinho Trumpete, Ovídio Brito, Pirulito, Ricardo Pontes Roberto Marques, Gilson Peranzzetta, Cristóvão Bastos, Humberto Araújo e outros não menos importantes.

Sob o signo da arte e da amizade, CJ concebeu e co-produziu este CD inaugural do selo Carioca Discos, parceria já bem sucedida dele e Paulinho Albuquerque, cujo espírito já salta aos olhos nas fotos em p/b que fecham o encarte. Numa, os amigos Everaldo de Barros e Paulo Medeiros, jornalistas, boêmios e sobretudo cariocas, aprontam uma das suas. Na outra, o intérprete Cláudio Jorge (de Barros) e o produtor Paulinho (Medeiros) Albuquerque, olham, enternecidos, o retrato dos “velhos”.

Disco de músico, disco de poeta, disco de amigo. Coisa de Chefe.


“Este disco é dedicado à memória (sempre presente) de Everaldo de Barros e Paulo Medeiros”


Faz muitos anos, Cláudio dome era quase um menino, a paixão que ele revelava pela música já me impressionava. Tocava violão, não parava de estudar música e não faltava a uma palestra, desde que o tema abordado fosse musical. Acabou dando no que deu: um excelente instrumentista, disputado pelos intérpretes nos shows e nos estúdios de gravação, um arranjador criativo e um extraordinário compositor. Como se não bastasse tudo isso, não é que Cláudio Jorge esta cantando maravilhosamente? Melhor para o samba, pois Cláudio colocou todas essas qualidades à disposição do seu gênero musical preferido.

Ei-lo brilhando neste disco, um show de sambas bonitos e bem interpretados. Everaldo de Barros, pai dele, Paulo Medeiros, pai do produtor Paulo Albuquerque, jornalistas muito ligados à música popular brasileira, são homenageados no CD. Conheci os dois e garanto: se é verdade que a gente sai daqui pra outras vidas, eles estão muito felizes com a homenagem, estejam onde estiverem. De minha parte, amigos de todos eles, confesso: eu fiquei muito feliz.
Sérgio Cabral

CD CLAUDIO JORGE coisa de chefe, 2001

  1. O SAMBA MELHOR DO BRASIL
    (Cláudio Jorge) 3:55
  2. AMOR DE FATO
    (Cláudio Jorge – João Nogueira) 3:10
  3. NOVOS TEMPOS
    (Cláudio Jorge) 3:24
  4. PRINCÍPIO DO INFINITO
    (Cláudio Jorge – Luiz Carlos da Vila) 4:39
  5. COISA DE CHEFE
    (Cláudio Jorge) 4:39
  6. E O VENTO LEVOU
    (Wilson das Neves – Cláudio Jorge) 3:53
  7. O QUE É CARNAVAL
    (Wilson das Neves – Cláudio Jorge) 3:39
  8. PANELA NA PIA
    (Jamil Joanes – Cláudio Jorge) 3:45
  9. SOLIDARIEDADE HUMANA
    (Cláudio Jorge) 4:35
  10. SÓ VOCÊ
    (Cláudio Jorge – Luiz Alfredo Milleco) 3:43
  11. QUANDO TOCO NA VIOLA
    (Ivan Lins – Cláudio Jorge) 3:14
  12. ESTRELA CADENTE
    (Cláudio Jorge – Nei Lopes) 3:11
  13. CÔCO SACUDIDO
    (Cláudio Jorge – Nei Lopes) 3:37
  14. SAMBA PRO LUISÃO MAIA
    (Cláudio Jorge) 4:22

Carioca Discos ?– CD 002, CD

O SAMBA MELHOR DO BRASIL
Claudio Jorge – violão e arranjo / Jamil Joanes – baixo / Alceu Maia – cavaquinho / Carlinhos sete cordas – violão sete cordas / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – repique, caixa, tamborim / Jaguara – repique, caixa, tamborim / Beloba – repique, caixa, tamborim / Pirulito – repique, caixa, tamborim / Trambique – repique, caixa. tamborim / Gordinho – surdo / Mart´nália, Analimar Ventapani, Claudia Telles, Marcelinho Moreira, Ary Bispo, Cavalo, Cláudio Jorge – coro
Musica incindental: Renascer das cinzas de Martinho da Vila

AMOR DE FATO
Cláudio Jorge – violão, arranjo de base / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Alceu Maia – cavaquinho / Carlinhos sete cordas – violão sete cordas / Arlindo Cruz – banjo / Nelson Oliveira – trumpete / Roberto Marques – trombone / Dirceu Leite – sax alto / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – repique de mão, tan-tan / Jaguara – repique, caixa, tamborim / Beloba – repique, caixa, tamborim / Pirulito – repique, caixa, tamborim / Trambique – repique, caixa, tamborim / Gordinho – surdo / Mart’nália, Analimar Ventapani, Marcelinho Moreira, Ary Bispo, Cavalo, Cláudio Jorge – coro
Participacão especial: Humberto Araujo – sax tenor e arranjo de sopros

NOVOS TEMPOS
Cláudio Jorge – violão, arranjo de base / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Medino – piano / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – tan-tan / Gordinho – surdo
Cordas:
Paschoal Perrota – coordenação e violino / Bernardo Bessler – spalla / Michel Bessler – violino / Antonela Pareschi – violino / José Alves – violino / João Daltro – violino / Marie-Christine Springel Bessler – viola / Jesuina Passaroto – viola / Alceu Reis – cello / lura Ranewshy – cello
Arranjo de cordas – Gilson Peranzzetta

PRINCÍPIO DO INFINITO
Cláudio Jorge – violão, arranjo de base / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Menino – piano / Wanderson Martins – cavaquinho / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – tan-tan, pandeiro, repique de mão / Gordinho – surdo / Dirceu Leite – Clarinete e clarone
Arranjo de sopros – Gilson Peranzzetta

COISA DE CHEFE
Cláudio Jorge – violão, arranjo / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Wanderson Martins – cavaquinho / Carlinhos sete cordas – violão sete cordas / Arlindo Cruz – banjo / Armando Marçal – caixa, tamborim / Ovidio Brito – pandeiro, cuica, tamborim / Marcelinho Moreira – repique de mão, tan-tan, caixa e tamborim / Jaguara – caixa, tamborim / Beloba – caixa, tamborim / Pirulito – caixa, tamborim / Trambique – repique, caixa, tamborim / Gordinho – surdo / Mart´nália, Analimar Ventapani, Viviane Godoi, Marcelinho Moreira, Ary Bispo, Cavalo, Cláudio Jorge – coro

E O VENTO LEVOU
Cláudio Jorge – violão, arranjo / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – tan-tan, caixa / Gordinho – surdo
Participação especial: Wilson das Neves

O QUE É CARNAVAL
Cláudio Jorge – violão e arranjo / Jamil Joanes – baixo / Camilo Mariano – bateria / Wanderson Martins – cavaquinho / Filipe Lima – violão sete cordas / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim, cuica / Marcelinho Moreira – repique, caixa, tamborim, tan-tan / Jaguara – repique, caixa, tamborim / Armando Marcal – repique, caixa, tamborim / Beloba – repique, caixa, tamborim / Pirulito – repique, caixa, tamborim / Trambique – repique, caixa, tamborim / Gordinho – surdo / Mart´nália, Analimar Ventapani, Viviane Godoi, Marcelinho Moreira, Ary Bispo, Cavalo, Cláudio Jorge – coro

PANELA NA PIA
Cláudio Jorge – violão e arranjo / Jamil Joanes – baixo / Camilo Mariano – Bateria / Wanderson Martins – cavaquinho / Carlinhos sete cordas – violão sete cordas / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – tan-tan, pandeiro / Gordinho – surdo
Participação especial: Toque de Prima

SOLIDARIEDADE HUMANA
Cláudio Jorge – violão e arranjo de base / Jamil Joanes – baixo / Camilo Mariano – bateria / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim, ganzá / Marcelinho Moreira – tan-tan / Gordinho – surdo
Cordas:
Paschoal Perrota – coordenação e violino / Bernardo Bessler – spalla / Michel Bessler – violino / Antonela Pareschi – violino / José alves – violino / João Daltro – violino / Marie-Christine Springel Bessler – viola / Jesuina Passaroto – viola / Alceu Reis – cello / lura Ranewshy – cello
Participacões especiais: Newton Rodrigues – trumpete / Cláudia Telles – vocal e arranjo vocal / Analimar Ventapane – vocal

SÓ VOCÊ
Cláudio Jorge – violão e arranjo / Ivan Machado- baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – tan-tan, repique de mão / Gordinho – surdo
Participacão especial: José Carlos Bigorna – flautas

QUANDO TOCO NA VIOLA
Cláudio Jorge – violão, arranjo de base / lvan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Arlindo Cruz – banjo / Nelson Oliveira – fluguelhorme / Roberto Marques – trombone / Ricardo Pontes – flauta / Dirceu Leite – clarinete / Ovidio Brito – pandeiro, cuica, ganza / Marcelinho Moreira – tan-tan / Gordinho – surdo

ESTRELA CADENTE
Cláudio Jorge – violão, arranjo de base / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Wanderson Martins – cavaquinho / Filipe Lima – violão sete cordas / Zé Nogueira – sax soprano / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – tan-tan / Gordinho – surdo / Mart’nália, Analimar Ventapani, Claudia Telles, Marcelinho Moreira, Ary Bispo, Cavalo, Cláudio Jorge coro
Cordas:
Paschoal Perrota – coordenação e violino / Bernardo Bessler – spalla / Michel Bessler – violino / Antonela Pareschi – violino / Joseé Alves – violino / João Daltro – violino / Marie-Christine Springel Bessler – viola / Jesuína Passaroto – viola / Alceu Reis – cello / Iura Ranewsky – cello / Arranjo de cordas – Cristóvão Bastos

CÔCO SACUDIDO
Cláudio Jorge – violão, arranjo de base / Ivan Machado – baixo / Camilo Mariano – bateria / Fernando Merlino – piano / Gordinho – surdo / Carlos Malta – sax soprano, flauta em C, flautim / Carlos Vega – tuba / Eliezer Rodrigues – bombardino / Lulu Pereira – trombone / Nelson Oliveira – trumpete / Mart’nália, Analimar Ventapani, Viviane Godoi, Marcelinho Moreira, Ary Bispo, Cavalo, Cláudio Jorge – coro
Participação especial: Nei Lopes
Arranjo de sopros – Carlos Malta

SAMBA PRO LUISÃO MAIA
Cláudio Jorge – violão e arranjo de base / Jamil Joanes – baixo / Camilo Mariano – bateria / Alceu Maia – cavaquinho / Fernando Merlino – piano / Nelson Oliveira – trumpete / Roberto Marques – trombone / Dirceu Leite – flauta / Humberto Araujo – sax soprano / Ovidio Brito – pandeiro, tamborim / Marcelinho Moreira – repique, caixa, tamborim / Jaguara – repique, caixa, tamborim / Armando Marçal – repique, caixa, tamborim / Beloba – repique, caixa, tamborim / Pirulito repique, caixa, tamborim / Trambique – repique, caixa, tamborim / Gordinho – surdo
Arranjo de sopros: Fernando Merlino
Participação especial: Leny Andrade

FICHA TÉCNICA

Produção Fonográfica: CARIOCA DISCOS
Produção Artistica: Paulinho Albuquerque
Gravado e mixado em Protools 24 Mix no Estúdio
Discover – Rio de Janeirojulho/agosto de 2000

Técnicos de gravação: Rodrigo Lopes e Guilherme Reis
Técnico de mixagem: Guilherme Reis
Auxiliares: Pedro Burckauser e André Coelho
Masterização: Oficina de Áudio e Vídeo
Capa e diagramação: Mello Menezes e José Feijó
Fotos: Bruno Veiga.
Foto na base do CD: Everaldo de Barros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *