Você passa, eu acho graça“, até então o maior sucesso de Clara Nunes, foi co-escrita por Carlos Imperial para a cantora devido à insistência de Aurino Araújo, então namorado de Clara e amigo do compositor, à época diretor do Departamento Internacional da Odeon. Apesar do sucesso da canção, o álbum homônimo que a continha vendeu apenas 6.900 cópias. A cantora, então, decidiu focar seus esforços nos festivais de música popular que ocorriam à época e revelavam nomes como Elis Regina, Nara Leão e Chico Buarque para tornar seu nome conhecido.

Simultaneamente a sua participação nos festivais, a Odeon lançou – A BELEZA QUE CANTA – no segundo semestre de 1969. O disco tinha 12 faixas e trazia Carlos Imperial como assistente de produção. Três faixas eram de autoria do próprio Imperial, que também foi o arranjador de “A casinha pequenina”, do folclore popular. Ataulfo Alves, compositor de “Você passa e eu acho graça”, estava presente com a faixa “Meus tempos de criança“.

Apesar da cantora não demonstrar mais interesse com o iê-iê-iê, movimento cada vez mais fora de moda e tachado de alienado, haviam canções de William Prado e Fernando César, compositores referência da Jovem Guarda, no álbum, provavelmente escalados por obra de Imperial.

Para Valter Fernandes, biógrafo da cantora, o disco não possui qualquer identidade e foi “mais um equívoco na carreira de Clara”. – A BELEZA QUE CANTA – vendeu apenas 5.500 cópias e acabou representando um ponto de ruptura na carreira da cantora; o terceiro fracasso consecutivo de vendas convenceu tanto Clara quanto a Odeon que era preciso mudar a identidade musical da cantora, que dali para frente estaria cada vez mais identificada com o samba do que com qualquer outro gênero musical.

lp A BELEZA QUE CANTA CLARA NUNES | 1969, Odeon

LADO UM
* DE ESQUINA EM ESQUINA com 004
** ESPUMA CONGELADA
** MEUS TEMPOS DE CRIANÇA
** GENTE BÔA
** GRAÇAS Á DEUS
** GUERREIRO DE OXALÁ

LADO DOIS
** A CASINHA PEQUENINA
** FOI ELE
** ATÉ VOLTAR
** FELICIDADE
** HORA DE CHEGAR
** A ESTRELA E O ASTRONAUTA

* MAESTRO IVAN PAULO
** MAESTRO BRUNO FERREIRA


Odeon MOFB 3594, LP

Produtor Fonográfico: Indústria Elétricas e Músicais Fábrica Odeon S/A
Equipe de produção artística-fonográfica realizadora dêste disco:

Diretor de Produção: Milton Miranda
Diretor Musical: Lyrio Panicali
Assistente de Produção: Carlos Imperial
Orquestradores e Regentes: Maestro Bruno Ferreira e Maestro Ivan Paulo
Diretor Técnico: Z.J. Merky
Técnico de Gravação: Jorge e Nivaldo
Técnico de Laboratório: Reny R. Lippi
Lay-out: M.Rocha
Foto: Mafra

Compositores:
Aldir Blanc DE ESQUINA EM ESQUINA
Ataulfo Alves MEUS TEMPOS DE CRIANÇA
Carlos Alberto HORA DE CHEGAR
Carlos Imperial GUERREIRO DE OXALÁ / FOI ELE / FELICIDADE
César Costa Filho DE ESQUINA EM ESQUINA
Fernando César GRAÇAS Á DEUS
Fred Falcão ATÉ VOLTAR
Jorge Martins HORA DE CHEGAR
Mário Castro Neves A ESTRELA E O ASTRONAUTA
Niltinho FELICIDADE
Paulinho Tapajós ATÉ VOLTAR
Piti ESPUMA CONGELADA
Rildo Hora A ESTRELA E O ASTRONAUTA
William Prado GENTE BÔA

Publicado por Marcelo Oliveira

Sou carioca, mangueirense, botafoguense e apaixonado por samba. Meu objetivo com o blog sambaderaiz é divulgar o SAMBA, compartilhando meu acervo fonográfico. Que o blog seja um espaço de “Resistência Cultural” e em “Defesa da Tradição do Samba”. Forte abraço. marcelo@sambaderaiz.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − sete =