Se vocês querem saber quem eu sou, 
eu sou a tal mineira.
Filha de Angola, de Ketu e Nagô
não sou de brincadeira. 
Canto pelos sete cantos
não temo quebrantos
porque eu sou guerreira.
Dentro do samba eu nasci
me criei, me converti
e ninguém vai tombar a minha bandeira

Foi com esses versos escritos por Paulo César Pinheiro para o samba “Guerreira” – cuja melodia é de João Nogueira (1941 – 2000) – que Clara Nunes (1942 – 1983) se apresentou na introdução do álbum que lançou em 1978 (e trago neste post).

Este excelente álbum da cantora mineira que, de certa forma, resume a ideologia musical adotada por Clara desde que ouviu o chamado do samba – através do produtor e radialista Adelzon Alves – e, com o samba, alcançou enfim o sucesso que perseguia desde a segunda metade dos anos 1960.

Produzido por Paulo César Pinheiro, Guerreira é o 11º dos 15 álbuns solo da artista. Além do samba-título “Guerreira”, o repertório do LP posto nas lojas pela EMI-Odeon – única gravadora pela qual Clara lançou discos entre 1966 e 1982 – gerou outros dois sucessos radiofônicos, o samba “Mente” (Eduardo Gudin e Paulo Vanzolini, 1978) e “Candongueiro” (Wilson Moreira e Nei Lopes, 1978), em cuja letra a cantora citou o estado natal Minas Gerais e exaltou a cultura afro-brasileira entranhada na obra de Clara desde 1971.

A mesma Angola mencionada com orgulho no refrão de “Candongueiro” está no título de “Jogo de Angola” (Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, 1978), música representativa do álbum Guerreira, (a faixa abre o lado B).

No álbum, Clara canta sambas de compositores ligados à escola de samba Portela, apresentando “Quem me ouvir cantar” (Aniceto da Portela, 1978) e regravando “Outro recado” (Candeia e Casquinha, 1970).

Mas também há a pérola do mangueirense Nelson Cavaquinho (1911 – 1986), “O bem e o mal”, parceria do compositor com o letrista poeta Guilherme de Brito (1922 – 2006).

Um dos grandes títulos de discografia que se tornou imaculada a partir de 1971, Guerreira merece mesmo figurar no panteão dos álbuns antológicos do samba.
adaptado de Mauro Ferreira, G1


Faixas

Lado A

  1. GUERREIRA *
    João Nogueira-Paulo Cesar Pinheiro
  2. MENTE **
    Eduardo Gudin-Paulo Vanzolini
  3. CANDONGUEIRO **
    Wilson Moreira-Nei Lopes
  4. OUTRO RECADO ***
    Candeia-Casquinha
  5. ZAMBELÊ *
    Catoni-Rosa
  6. QUEM ME OUVIR CANTAR ***
    Aniceto da Portela

Lado B

  1. JOGO DE ANGOLA *
    Mauro Duarte-Paulo Cesar Pinheiro
  2. NINGUÉM *
    Paulo Cesar Pinheiro
  3. MOEDA **
    Romildo-Toninho Nascimento
  4. AMOR DESFEITO **
    Gisa Nogueira
  5. O BEM E O MAL ***
    Nelson Cavaquinho-Guilherme de Brito
  6. TU QUE ME DESTE O TEU CUIDADO *
    Capiba – Poema de Manuel Bandeira

Salve Nosso Senhor Jesus Cristo – Êpa – Babá, Oxalá.
Salve São Jorge Guerreiro – Ogunhê. Ogum, meu pai.
Salve Santa Bárbara – Eparrei, minha mãe Yansã.
Salve S. Pedro – Kawô-Kabecilê, Xangô.
Salve S. Sebastião – Okê – Arô – Oxóssi.
Salve Nossa Senhora da Conceição – Odô – Fiaba – Yemanja.
Salve Nossa Senhora da Glória – Ora- Ie – Ie – O – Oxum.
Salve Nossa Senhora de Santana – Nanã Burukê – Saluba, Vovó
Salve S. Lázaro – Atotô – Obaluai – ê.
Salve S. Bartolomeu – Arrobobô – Oxu – Maré.
Salve o povo da rua.
Salve as crianças.
Salve os Pretos-Velhos – Pai Antônio, Pai Joaquim D´Angola, Vovó Maria Conga, Saravá!
E Salve o Rei Nagô!”
* texto transcrito fielmente da contracapa do elepê.


Músicos

DINO – Violão de 7 cordas
WILSON DAS NEVES – Bateria
LUIZÃO – Baixo
ALCEU – Cavaquinho
PEDRO SANTOS – Ritmo e voz africana
MARÇAL, LUNA, ELIZEU, DOUTOR, CABELINHO, MILTON – Ritmo
HELINHO, NECO, MENEZES – Violão
JOEL – Bandolim
JORGINHO, JAIME ARAUJO, MAURO SENISE, CELSO, COPINHA – Flauta
AZEVEDO, MAESTRO NELSINHO – Trombone
NETINHO – Clarinete
DINORAH, EURÍDICE, ZENILDA, ZÉLIA, EDGARDO, GELSON, ROBERTO, RONALDO, EVINHA, MARIZINHA, REGINA, JILÇARIA, EUNICE – Coro
GERALDO VESPAR * IVAN PAULO ** NELSINHO *** Maestros.
Na música ZAMBELÊ Cavaco CARLINHOS Violão 7 Cordas VALDIR Ritmo BETERLAU, GERALDO BONGÔ

Ficha Técnica

Direção de Produção RENATO CORRÊA
Produção Executiva PAULO CÉSAR PINHEIRO
Técnicos de Gravação TONINHO, DACY, ROBERTO, SERGINHO
Remixagem JORGE TEIXEIRA
Corte OSMAR FURTADO
Foto IVAN KLINGEN
Capa JATOBÁ


Clara Nunes ‎– Guerreira
EMI ‎– 31C 062 421096
Vinil, LP, Álbum
1978
DISCO É CULTURA

Publicado por Marcelo Oliveira

Sou carioca, mangueirense, botafoguense e apaixonado por samba. Meu objetivo com o blog sambaderaiz é divulgar o SAMBA, compartilhando meu acervo fonográfico. Que o blog seja um espaço de “Resistência Cultural” e em “Defesa da Tradição do Samba”. Forte abraço. marcelo@sambaderaiz.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × três =