A figura do Zeca me lembra a infância em Madureira, o Campo da Light, os ensaios da Portela comandados por Natal, a bola de gude, o Império Serrano (chegando para Vaz Lobo), as normalistas da Escola Carmela Dutra, o Cine Coliseu, o Haia e o Amorim que serviam caldo de cana e pastel pra gente nova; chope e cachaça para os menos jovens. Fui criado ali, curtindo muito choro, samba e partido-alto. Zeca é uma síntese desses valores que guardo na lembrança e procuro não esquecer. Como diz um samba do Wilson das Neves e Paulo Cesar Pinheiro “conhece e conheceu quem faz samba bom“, representa o mundo bonito dos que vivem para servir a esse gênero musical carioca e de todos os brasileiros. Seu talento, reconhecido por todos, o coloca entre os melhores do gênero. Mesmo assim mantém a simplicidade, é pessoa amena e muito generosa.

Gosto muito do resultado final deste trabalho. Os arranjos do Maestro Leonardo Bruno, Paulão e Mauro Diniz estão muito interessantes, a rapaziada da percussão se superou, passando muita energia para os arames (cavaco, violão, viola e banjo) e os músicos convidados.

Valeu a pena ir várias vezes a Xerém para escolhermos o repertório. Naquela casa branquinha, o Zeca sempre prepara umas coisas gostosas para a gente comer (Max Pierre adorou a sopa de legumes), o caseiro “Baixinho” nos oferece um gole, Dona Mônica e toda a família dão força, ao som dos passarinho, sambas e sambas.

Este grande momento que o Zeca esta vivendo, fruto de seu amadurecimento como artista, pode servir como diretriz para os que estão chegando. A boa rima, o fraseado solto, a melodia rica, aprendeu com os iluminados. Sabe de cor uma infinidade de sambas dos mestres, ouviu muitos, conhece todos. Tem mais. Toca em duas ou três posições no cavaquinho mas, se quiser, não deixa o samba parar. Faz isso na intimidade, com músicos e amigos mais chegados, como Paulão, Ratinho, Espinguela, Nei “Empresário” Barbosa, em família.

Zeca, meu irmão, me leva num pagode desses.

Rildo Hora
Setembro’96
encarte do CD

cd ZECA PAGODINHO DEIXA CLAREAR | 1996, Universal Music

  1. Verdade 4:16
    Nelson Rufino/ Carlinhos Santana
  2. Deixa Clarear 4:16
    Arlindo Cruz/ Sombrinha/ Marquinhos PQD
  3. Colete Curto / Nega do Patrão 4:04
    Nílton Campolino/ Tio Hélio – Otacílio da Mangueira/ Ari do Cavaco
  4. Vivo Isolado do Mundo* 3:16
    Alcides Dias Lopes
  5. Não Sou Mais Disso 3:40
    Zeca Pagodinho/ Jorge Aragão
  6. Conflito 2:56
    Barbeirinho do Jacarezinho/ Marcos Diniz
  7. Dona Encrenca 3:04
    Barbeirinho do Jacarezinho/ Marcos Diniz
  8. Velho Ditado** 3:50
    Dudu Nobre/ Luizinho SP
  9. Jiló Com Pimenta 4:14
    Arlindo Cruz/ Zeca Pagodinho
  10. Vou Procurar Esquecer 3:05
    Monarco/ Ratinho
  11. Olhos 3:08
    Almir Guineto/ Luverci Ernesto/ Carlos Senna
  12. Boi 4:33
    Beto Sem Braço/ PC Santos

* Participação Especial: Velha Guarda da Portela / ** Participação Especial: Dudu Nobre


Universal Music – 534 078-2, CD

DIREÇÃO ARTÍSTICA MAX PIERRE
UMA PRODUÇÃO POLYGRAN DIRIGIDA POR RILDO HORA
COORDENAÇÃO DE GRAVAÇÃO BARNEY
ASSISTENTE DE PRODUÇÃO PAULÃO
ARRANJOS E REGÊNCIAS RILDO HORA, MAESTRO LEONARDO BRUNO, MAURO DINIZ E PAULÃO
GRAVADO NO ESTÚDIO CIA. DOS TÉCNICOS (RJ)
CAPA ELIFAS ANDREATO

Músicos:
Andrea Ernest Dias : Flauta, Flautim
Antônio Cândido Sobrinho : Trompa
Arlindo Cruz : Banjo
Beloba : Caixa, Ganzá, Reco-reco, Repique, Tantã
Bira Presidente : Pandeiro
Cláudio Mazza : Teclados
Darcy de Paulo : Teclados
Dino 7 Cordas : Violão 7 Cordas
Dirceu Leite : Clarineta, Flauta
Dudu Nobre : Cavaquinho
Esguleba : Caixa, Ganzá, Pandeiro, Reco-reco, Repique, Repique de Mão, Tamborim, Tantã, Tumbadora
Gordinho : Surdo
Henrique Cazes : Cavaquinho, Viola 10 Cordas, Violão
Ivan Machado : Baixo Elétrico
J. B. Maia : Bateria
Jaguara da Mangueira : Agogô, Caixa, Ganzá, Repique, Tamborim, Triângulo
Jorge Luiz Gomes : Bateria
Kátia Pierre da Costa : Flauta
Macalé : Caixa, Pandeiro, Repique
Marcus Ferrer : Viola 10 Cordas, Violão
Maurício Almeida : Baixo Elétrico
Mauro Diniz : Cavaquinho
Paulão 7 Cordas : Violão
Paulo Sérgio Santos : Clarineta
Rildo Hora : Realejo
Rui Alvim : Clarineta
Sivuca : Acordeon
Uracy Cardoso : Caixa, Repique, Surdo
Coro: Ary Bispo, Dinorah, Genaro, Ircea Gomes, Isabel Gomes, Leonardo Bruno, Oswaldo Cavalo, Patrícia da Hora, Zélia

Publicado por Marcelo Oliveira

Sou carioca, mangueirense, botafoguense e apaixonado por samba. Meu objetivo com o blog sambaderaiz é divulgar o SAMBA, compartilhando meu acervo fonográfico. Que o blog seja um espaço de “Resistência Cultural” e em “Defesa da Tradição do Samba”. Forte abraço. marcelo@sambaderaiz.org

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − onze =