Fala Meu Povo!

Roberto Ribeiro Fala Meu Povo

“Fala Meu Povo!” — LP gravado por Roberto Ribeiro. Álbum cheio de “feras”. Nas composições temos Nelson Rufino, Paulo César Pinheiro, Mauro Duarte, Monarco, Wilson Moreira, Nei Lopes e Mano Décio. Na execução temos Wilson das Neves, Clara Nunes, Marçal, Luna, Joel Nascimento e Wagner Tiso. Imperdível!


Dermeval Miranda Maciel. Filho de jardineiro. Aos nove trabalhava como entregador de leite. Jogador de futebol profissional (atuou no Fluminense). Apelido de “Pneu”. Sabe de quem estou falando? Pertenceu à Ala de Compositores do Império Serrano, sua escola de coração, onde também atuou como puxador de samba. Foi casado com a compositora Liette de Souza. Agora já sabe… Roberto Ribeiro.

No início da década de 1980, em seu nono LP (o que trago neste post) gravado pela Odeon — os dois primeiros foram com Elza Soares (1972) e Simone (1973) — Roberto Ribeiro gravou 3 sambas seus em parceria com Toninho Nascimento: “Ebó”, “Vem” e “Quem Sabe amanhã”.

Com naturalidade, mostrando que sabe pisar com firmeza no terreiro, Roberto abre o LP lançando “Resto de Esperança” de Aragão e Dedé da Portela, que no ano seguinte seria também gravada por Aragão em seu primeiro álbum chamado “Jorge Aragão” lançado pela Baccarola/Ariola (020.008).

De quebra uma música do grande Nelson Rufino. Nos anos 70 e lá vai fumaça, quase que não existia um só disco de samba que não trouxesse compositores da Bahia como o próprio Rufino, Edil Pacheco, Ederaldo Gentil, Batatinha, Walmir Lima, Walter Queiroz e outros bambas baianos. Aqui em “Fala Meu Povo!” temos “Jura” de Nelson Rufino.

Com participação de Clara Nunes, a faixa “Artifício” — dos craques Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro –— é outro destaque do disco. Impressionante o momento da música em que entra a Clara, em um êxtase quase que religioso. Para ser ouvido de joelhos, e quietinho.

De Monarco, Roberto cantou: “Quem Lucrou Fui Eu” samba inspirado em um fim de romance. Sucesso também foi “Só Chora Quem Ama”, samba lançado também em 1980, no álbum “A Arte Negra de Wilson Moreira e Nei Lopes” (EMI-Odeon) pelos seus compositores.

Não posso deixar de citar “Gamação Danada” de Neguinho da Beija-Flor/Almir — vale ressaltar que o Almir em questão é o Guineto — samba lançado no ano de 1979 por Jair Rodrigues no álbum “Couro Comendo” (Philips – 6349 434). Fechando o LP, um samba-enredo clássico de sua escola do coração, o Império Serrano (1969): “Heróis da Liberdade”.

Enfim, só “pedrada”. Completando o repertório “O Patrão Pediu Serão” de David Correa e “Planta Imortal” de Serafim Adriano. Mais abaixo, transcrevo outro texto que achei sobre o elepê no CADERNO B do Jornal do Brasil de 1980, bem como as letras dos sambas (em REPERTÓRIO). Não perca tempo e ouça esse disco que, em minha modesta opinião, é um dos melhores de meu acervo.

Marcelo Oliveira

Está na praça um novo disco com músicas de Silas, Monarco, Dedé e Rufino

Depois de “Todo Menino É Um Rei” e “Vazio (Está Faltando Alguma Coisa…)” é chegada a hora do povo cantar “Vem”, primeira faixa do lado B do sétimo LP de Roberto Ribeiro que já chegou às lojas, somente no Rio, com mais de 60 cópias vendidas. Ganhador de dois discos de ouro (vendas acima dos 150 mil) o ótimo sambista escolheu um repertório da maior qualidade, onde brilham os nomes de Silas de Oliveira, Monarco, Dedé da Portela, Nelson Rufino e do próprio cantor, que assina três faixas, em parceria com Toninho Nascimento.

Satisfeito da vida, pois está viajando para os Estados Unidos onde encontrará velhos companheiros do futebol, primeira profissão iniciada na terra natal, Campos, como Carlos Alberto e Marinho, voltará somente no inicio de outubro para o lançamento de “Fala Meu Povo!”. O lançamento de um disco seu é fato da maior importância, ao calendário de eventos de Madureira , já que há três anos o cantor faz um show na sede do Império Serrano, sua escola, com direito a mais de 8 mil litros de chope, pagode que dura quase a noite inteira.

Aos 4O anos de idade e 18 de carreira, iniciada em Campos, onde cantou dois anos em boate, dividindo o tempo com o time do Goytacaz, onde foi goleiro durante oito anos, entrou no mercado fonográfico pelas mãos de Adelzon Alves, que o incluiu no LP “Quem Samba Fica”, ao lado de nomes que surgiam como o de João Nogueira. Depois dividiu outro LP, desta vez com Elza Soares e outro com Simone, seguindo juntos para a Europa, no ano de 1973, quando excursionaram por alguns países.

A partir daí, veio o sucesso com a gravação do primeiro disco individual para a mesma Odeon onde ainda continua como um dos recordistas de vendas ao lado de Simone e de Clara Nunes. Para a gravação deste último trabalho, que demorou cinco meses, entre a seleção do repertório e estúdio, Roberto Ribeiro escutou mais de 800 composições vindas de todos os cantores. Ele explica que normalmente um cantor recebe muitos pedidos de gravação, e depois do carnaval, “vem de enxurrada”

Músicas de Monarco e Silas de Ollvelra estão em todos os discos e Nelson Rufino, compositor baiano, autor de dois estouros nacionais — “Todo Menino É Um Rei” (1978) e “Vazio” (1979) — também se fez presente com a faixa “Jura”. Sentindo-se feliz “pois o povo não é bobo e não se engana durante muito tempo”, ele afirma que o samba já tem o seu lugar desde Martinho da Vila “pois se o samba tá legal deve-se à abertura que ele deu pra gente”.

Puxador do samba-enredo da Império Serrano, sempre com muita garra, pois vai no chão mesmo, dispensando o carro, não participa mais da seleção do sambas-enredo preferindo dar uma chance aos novos. “Mas tô lá, rente com a rapaziada”. Mas a atual situação do Império e do Botafogo são duas tristezas em sua vida pois os dois encontram-se em uma fase negra embora ele acredite, pelo menos, na recuperação da escola durante o próximo carnaval.

Um outro destaque neste LP é a gravação do clássico “Heróis da Liberdade”, samba-enredo de Silas de Oliveira, Mano Décio da Viola e M. Ferreira, interpretado à capela (sem acompanhamento) para dar maior realce à letra.

“Cantei quase que a capela, apenas a minha voz, pois queria mostrar a letra e colocando o ritmo de samba as pessoas sempre se ligam mais no ritmo. Sempre quis gravar esta música que canto nos meus shows, mas a Elza Soares e o João Nogueira tinham gravado e preferi esperar mas um pouco até chegar a minha vez”.

Mesmo vendendo muito bem, cantor e compositor conhecido do grande público, Roberto Ribeiro ainda não enfrentou um palco em espetáculo só seu porque para o tipo de show que ele gostaria, sairia um espetáculo caro.

“Teria que pôr um mestre-sala e uma porta-bandeira, a escola de samba em cima do palco e num show de teatro não dá. Seria caro e teria que contar com patrocínio. E há também um certo receio do público não gostar e não quero arriscar. O Fernando Faro vem insistindo há mais de um ano para fazer este show querendo trabalhar comigo mas ainda não dá.”

Além de espetáculos onde participou ao lado de outros cantores, ele fez o Projeto Pixinguinha, ao lado de Dona Ivone Lara, em “experiência boa, embora não compense financeiramente”.

Jornal do Brasil – CADERNO B – Rio de Janeiro, segunda-feira, 29 de setembro de 1980
Diana Aragão


Fala Meu Povo!

Roberto Ribeiro 1980, EMI-Odeon (31C 062-421208)
Ouça no spotify, youtube ou itunes
DISCO É CULTURA

REPERTÓRIO

Resto de Esperança
Jorge Aragão – Dedé da Portela
[ ouça ♫ ]

ainda resta um pouco de esperança
apesar das desavenças
afinal não sou criança
pra que deixar acontecer
e lamentar o dissabor
de sermos mais um caso de amor
(ainda resta)

mais um caso
como existem tantos por ai
pra se machucar
só pra se ferir
dessa vez
não vamos nos deixar levar
podemos superar
com um pouco de boa vontade
Não importa o tempo
coração não tem idade

Jura
Nelson Rufino
[ ouça ♫ ]

tem estrelas no céu menina
é convite de amar vem ver
que a beleza do céu menina
vai encher de alegria seu viver

eu hei de ver se afugentar a dor
sem deixar rastros da desilusão
eu vou fazer você se esquecer
daquele alguém que só feriu a sua vida

jura
entregar pra mim seu mundo
sem medo do amanhã
o amor pra você guardado
não é qualquer esperança vã

jura
novidade do meu mundo
você fez do meu viver
um despertar mais bonito
varreu enfim todo meu sofrer
(tem estrelas no céu)

O Patrão Pediu Serão
Davia Corrêa
[ ouça ♫ ]

faço tudo o que faço
pra ver você feliz
você não dá valor
é preciso paciência
pra entender o seu amor
só porque cheguei em casa
um pouco tarde
você fez alarde
o patrão pediu serão
eu fiz por causa do nosso feijão
(o patrão pediu serão)

(faço tudo meu amor)

(o dinheiro anda curto)
o dinheiro anda curto
e a maré não está boa
eu me sacrifico tanto
e você fica atoa
só na bonança você quer me beijar
na tempestade você quer brigar

Artifício
part.esp.: CLARA NUNES
Mauro Duarte – Paulo César Pinheiro
[ ouça ♫ ]

não
não adianta lamentar, amor
deixa de lado o que passou, passou
pra que sofrer pra que chorar
se nada vai mudar

não
não vale a pena alimentar a dor
no fundo todo mundo é pecador
acho melhor pra aliviar
fazer você cantar
bota de lado o sacrifício
isso é cavaco do ofício
e deixa o barco correr
a vida amor sempre é difícil
mas não é por causa disso, viu
que ninguém vai morrer

não
o que é preciso é se cuidar, amor
lembra que um beijo é que traiu senhor
mas mesmo assim não vá julgar
o que é pra ser, será
da chaga aberta nascerá uma flor
com a proteção do santo protetor
se você não quer perdoar
não vá também vingar
tenta fazer só benefício
que a vida é um mero artifício
nada se leva ao descer
quem faz o mal tá desde o início
à beira de um precipício
que eu não desejo a você

Planta Imortal
Serafim Adriano
[ ouça ♫ ]

me fez de terra
tentou pisar em mim
depois fez tudo
pra ver meu fim
mas se esqueceu
que eu morro aqui e nasço ali

eu sou como uma planta imortal
e que o bem sempre vence o mal

me transformei poeira, subi e você não viu
e nos braços do vento fui passear
hoje embriagado num sorriso
fico assistindo você chorar
e apesar, de me fazer tanto mal
na hora que eu mais precisava me negou a mão

meu Deus eu consegui
ficar de bem com vida
e você igual as pedras
hoje rola pelo chão

Ebô
Roberto Ribeiro – Toninho Nascimento
[ ouça ♫ ]

ela fez um feitiço de amor
tudo que foi pedido comprou
e gastou todo o dinheiro que tinha
a vizinha também emprestou
meia-noite lá no cemitério
atenção pois o caso era sério
arrepio correu na espinha
o santo da linha baixou
e mataram galinha d’angola
deitaram uma concha e uma argola
em cima de um alguidar
acenderam uma vela e um charuto
fizeram silêncio um minuto
depois começaram a cantar

ô ô ô õ

a vingança é mais forte que o amor
quem deveu nesta terra pagou
cada um recebeu o seu troco
a ternura de um beijo e um soco
pois a mão que bateu já amou
todo mundo que deu já cobrou
passarinho também vira fera
o tempo de espera passou
vinho novo não vira vinagre
sozinho ninguém faz milagre
nem santo nenhum também fez
pra ajudar o seu santo guerreiro
ela então dá um tiro certeiro
e o feitiço se cumpre de vez

ô ô ô ô

Vem
Roberto Ribeiro – Toninho Nascimento
[ ouça ♫ ]

vem, vem, vem, chega desse adeus
chega desse adeus
me agarra e me seduz
pelo amor de deus
por isso vem, vem, vem
chega desse adeus
chega desse adeus
me agarra e me seduz
pelo amor de Deus

eu já bebi aquela mágoa
que me embriaga
e me alucina
é doloroso procurar a solução
sem encontrar
e suportar uma paixão
que não termina
eu quero é lhe dizer
que eu já fui condenado
meu pecado é você

por isso vem meu amor, ai

Quem Lucrou Fui Eu
Monarco
[ ouça ♫ ]

quem lucrou com a separação fui eu, sim, fui eu
que lucrei quando este amor morreu
eu vivia magoado como um pobre coitado
mas isso de mim já desapareceu
Deus olhou a terra um dia assistiu
como eu tanto padecia
me deu força e coragem
me livrando das maldades
do amor que me traía

vão-se os anéis, ficam os dedos
descobri um bom segredo
o desprezo é bem melhor
quem no mundo não tinha alegria
não cantava, não sorria
e a vida era pior
Deus acatou o meu apelo
me deu um amor com zelo
e com mais dedicação
tirando do meu peito a agonia
expulsando a nostalgia
que morava no meu coração
(quem lucrou)

Só Chora Quem Ama
Wilson Moreira – Nei Lopes
[ ouça ♫ ]

quero ter alguém que tome conta de mim
não suporto mais ficar sozinho
preciso de uma companheira
que me dê conforto e carinho
(eu preciso de alguém, diz)

disse-me Vovó Cambinda
que a minha mandinga
só vai ter remédio
eu casando, juntando com a filha da Dona Cecília
com Seu Nicomedes
Seu Nicomedes entretanto
me disse que o santo pra ele mandou
só deixar que eu casasse provando
que em vez de malandro, sou trabalhador

quero ter alguém… etc.

Ana Rosária da Silva
que filha adotiva de Dona Nenêm
me chamou p’rum tremendo pagode
que o Juca Bigode armou em Xerém
eu disse a Ana Rosária sem fogo na palha
tu manda e não pede
mas só vou se tu levar
a filha da Dona Cecília com Seu Nicomedes

quero ter alguém… etc.

essa mulata formosa é a flor mais cheirosa
da ala das damas
do famoso terreiro de bambas
da escola de samba “Só Chora Quem Ama”
eu que jamais vi pastora tão perturbadora
tão meiga e tão bela
na maior privação dos sentidos
fiz esse partido chorando por ela

Quem Sabe amanhã
Roberto Ribeiro – Toninho Nascimento
[ ouça ♫ ]

eu não sei, amor
quanto tempo vai durar
esse corte que você deixou
e não quer sarar
já tratei o meu peito
com um novo amor
mas não deu, você venceu
e a ferida ainda não cicatrizou
só sei que mesmo sendo tarde
meu peito ainda arde
com a lembrança que ficou
eu sei que tudo vem e vai
que o coqueiro mais forte também cai
porém ninguém pode dizer
quando é que o vento vai bater
(não sei)
não sei, amor
quem sabe amanhã, talvez depois
a saudade que você deixou
enfim se cansa de nós dois
(não sei)

Gamação Danada
Neguinho da Beija-Flor – Almir
[ ouça ♫ ]

ê gamação danada
é triste ter você
fazendo morada
dentro do meu peito
deixando imperfeito
o meu viver

(gamação)

gamação palavra que soa indelicada
mas é a única forma adequada
que justifica o meu penar
amar da maneira que amo
não é mais amar
chorar por você como choro
não é mais chorar
é derramar
é derramar um arsenal de lágrimas
é me sentir o mais infeliz dos mortais
você é minha desventura
por lhe querer com loucura
conheço o sofrimento
e nada mais
nada mais

ê gamação danada

Heróis da Liberdade
Silas de Oliveira – Décio da Viola – M. Ferreira
[ ouça ♫ ]

passava a noite, vinha dia
o sangue do negro corria dia a dia
de lamento em lamento
de agonia em agonia ele pedia
o fim da tirania

lá em Vila Rica, junto ao Largo da Bica
local da opressão, a fiel maçonaria
com sabedoria deu sua decisão
lá rá rá
com flores e alegria
veio a Abolição
a Independência laureando o seu brasão
ao longe
soldados e tambores, alunos e professores
acompanhados de clarim
cantavam assim:
já raiou a liberdade, a liberdade já raiou
esta brisa que a juventude afaga
esta chama que o ódio não apaga pelo universo
é a evolução em sua legítima razão
samba ô samba tem a sua primazia de gozar a felicidade
samba meu samba presta esta homenagem
aos “heróis da liberdade”

ô ô ô ô…
liberdade senhor


FICHA TÉCNICA — PRODUÇÃO: Roberto Ribeiro e Renato Corrêa / DIREÇÃO: Renato Corrêa / ORQUESTRAÇÕES E REGÊNCIAS: Geraldo Vespar / MÚSICOS: Alceu e Carlinhos (cavaco) ; Valdir (violão) ; Wilson das Neves (bateria) ; Eliseu, Luna, Marçal, Doutor, Geraldo Bongô, Beterlau, Neném, Gordinho (ritmo) ; Zé Bodega, Jorginho, Maciel, Botelho, Biju (sopros) ; Wagner Tiso (acordeon) ; Joel do Bandolim (bandolim) ; Dinorah, Euridice, Zenilda, Zelia, Ivan Milanes, Joel (côro) / TÉCNICOS DE GRAVAÇÃO: Serginho, Roberto Castro e Darcy / TÉCNICO DE MIXAGEM: Nivaldo Duarte / CORTE: Osmar Furtado / COORDENAÇÃO GRÁFICA: Tadeu Valério / FOTOS: Fernando Carvalho / CAPA: Noguchi.

Considerações finais

Espero que você tenha gostado desse post com o álbum de Roberto Ribeiro, “Fale meu povo!” lançado em 1980 pela EMI-Odeon.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *