O Rei do Partido Alto

Xangô O Rei do Partido Alto

Com quase 50 anos é que Xangô da Mangueira consegue gravar o seu primeiro disco: “O Rei do Partido Alto”. Dono de um talento raro e artista completo, o senhor Olivério Ferreira – era o nome de Xangô – fez muito na e pela verde-rosa; sucedeu Cartola como diretor de harmonia e passou o bastão de interprete da escola para Jamelão.

Nesse álbum, Xangô da Mangueira divide a autoria na maior parte das músicas que de uma certa forma narra um pouco da sua história ; os primeiros anos em Paracambi – RJ “Moro na Roça”, a entrada no mundo do Samba “Cheguei no Samba” e depois como membro da diretoria da Mangueira “Diretor de Harmonia”. O também mangueirense Jorge Zagaia, compositor e parceiro de Xangô, participa de algumas músicas; além disso, o álbum é todo delicioso e revela momentos de descontração dessa rapaziada. (Alfeu ESF)


Xangô da Mangueira. Conhecido e reconhecido por essa alcunha, Olivério Ferreira fazia parte da direção de harmonia da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, escola responsável por um estelar elenco de sambistas jamais visto como Nelson Sargento, Cartola, Nelson do Cavaquinho, Carlos Cachaça, Jamelão, e por aí vai.

Este primeiro disco, dos quatro lançados, desfila um punhado de Sambas classificados como “partido-alto“, marcados por improviso e pela sequência de repetição de refrões baseados em um determinado tema.

Ao ouvir o disco, chega a ser fácil recriar na imaginação os descontraídos momentos quando os sambas foram criados, um exemplo disso é “Moro na Roça“, onde Xangô ganha a companhia de Jorge Zagaia, que também participa de “Pequenininho” e “Diretor de Harmonia“, faixa de linda letra e melodia, onde versos vão se repetindo intercalados por pequenas estrofes que contam a história de cada Samba.

Ao longo do LP – O Rei do Partido Alto –, vai se justificando, caso de “Quando Eu Vim de Minas“, canção de letra inteligente e com bela sacada do compositor em uma alusão que remonta a própria história do Brasil.

Canções como “Se o Pagode É Partido“, “Cheguei no Samba” e “Pequenininho“, destacam essa essência do álbum, com a arte do improviso e do bom gosto, levando aos mais novos a mirar a arte do samba de raiz.

“Que Samba É Esse” é outro momento de beleza ímpar. A canção dá uma geral no cenário do samba da época, misturando nomes como Donga e Martinho do Vila na mesma cuia, o que além de caprichosa, tem a sua importância documental.

Despertado tardiamente para a gravação de discos, Xangô já estava na casa dos cinquenta anos quando este primeiro trabalho foi gravado. Antes disso, o sambista havia sucedido Cartola, na direção de harmonia da escola de Samba Mangueira, a qual foi intérprete até 1951, quando foi sucedido por Jamelão.

Abaixo, transcrevo o texto publicado na contracapa do elepê.

OLIVÉRIO FERREIRA
O MESTRE XANGÔ DE MANGUEIRA

Diretor de todas as alas da Escola de Samba Estação Primeira.
Partideiro de todas as linhas.
Bamba das famosas “Rodas de Samba da Antiga Praça XI”, Igreja da Penha e outros pagodes.
Neste LP, o atual “Cidadão Samba” demostra de forma autêntica, primitiva, original, o que é PARTIDO ALTO , com a participação especial de Jorge Zagaia nas faixas: “Moro na Roça”, “Pequenininho” e “Diretor de Harmonia”.

João de Oliveira


O Rei do Partido Alto

Xangô 1972, Copacabana (CLP 11.701)
DISCO É CULTURA

Moro da Roça
Xangô – Jorge Zagaia
part.esp.: JORGE ZAGAIA
(Adaptação de tema popular)
[ ouça ♫ ]

moro na roça Iaiá
nunca morei na cidade
compro o jornal da manhã
pra saber das novidades

moro na roça Iaiá
nunca morei na cidade
compro o jornal da manhã
pra saber das novidades

(…)

Quando Vim de Minas
Xangô
[ ouça ♫ ]

quando eu vim de Minas
trouxe ouro em pó
quando eu vim
quando eu vim de Minas
trouxe ouro em pó
(ora veja você)

quando eu vim de Minas
trouxe ouro em pó
quando eu vim
quando eu vim de Minas
trouxe ouro em pó
quando eu vim

(…)

Se o Pagode É Partido
Xangô – Geraldo Babão
[ ouça ♫ ]

Se o pagode é partido olha conte comigo, eu vou lá
Vou em casa buscar meu pandeiro
Sou partideiro eu não posso é faltar

Eu não
Eu não posso faltar
Eu não
Eu não posso faltar

(…)

Cheguei no Samba
Rubem Gerardi – Xangô
[ ouça ♫ ]

cheguei no samba cheguei agora
o samba não está bom pra mim
levaram minha cabrocha
mandaram meu tamborim

sem meu tamborim não fico
sem minha cabrocha não vou
eu quero amostrar a esses caras
eu quero amostrar quem eu sou

Que Samba É Esse
Jorginho
[ ouça ♫ ]

que samba é esse
que acabou de chegar
é partido alto,
mas é pra quem sabe improvisar.
(vamos lá, vamos lá)

(…)

Se Tudo Correr Bem
Waldemiro do Candomblé – Xangô
[ ouça ♫ ]

se tudo correr bem
no fim do ano eu vou
no terreiro da Bahia
falar com meu protetor

mas se tudo correr bem
no fim do ano eu vou
no terreiro da Bahia
falar com meu protetor

(…)

Pequenininho
Geraldo das Neves
part.esp.: JORGE ZAGAIA
[ ouça ♫ ]

eu vi você nascer
pequenininho

ah eu vi você nascer
pequenininho

(…)

Recordação de um Batuqueiro
Xangô – J. Gomes
[ ouça ♫ ]

já cantei muito samba
eu já fui batuqueiro
e na roda de samba
fui diretor de terreiro
(cantei sim)

já cantei muito samba
eu já fui batuqueiro
e na roda do samba
fui diretor de terreiro

(…)

Quem não te Conhece É que te Compra (Tiro no Escuro)
Walter Coringa – Lúcio Ferreira
[ ouça ♫ ]

quem não te conhece
é quem te compra
eu não

quem não te conhece
é quem te compra
eu não

(…)

Arigó
Xangô – Batelão
[ ouça ♫ ]

se pensa que sou Arigó está muito enganada
na verdade eu nasci no estado de Minas Gerais
eu sei que você é sabida, mas não é capaz
de enganar um mineiro sabido, cheio de cartaz

eu relevo
todo erro que você me faz
por que
tendo amizade por mim tem cartaz
pensava que eu acreditava
na tua jura de amor
pensando que breve seria
um sofredor

Diretor de Harmonia
Jorge Zagaia
part.esp.: JORGE ZAGAIA
[ ouça ♫ ]

sou eu o diretor de harmonia
apito para entrar a bateria
sou eu quem manda o mestre de sala
se apresentar com a porta bandeira Maria

se estou errado, me perdoa
eu sou o samba em pessoa
você já pensou
quando a velhice chegar e eu não puder mais sambar

se estou errado, me perdoa
eu sou o samba em pessoa
você já pensou
quando a velhice chegar e eu não puder mais sambar

(…)

Olha o Partido
Xangô – Rubem Gerardi
[ ouça ♫ ]

olha meu partido alto
meu compadre
olha meu partido alto
minha comadre
veja como fica bom
meu partido alto batendo na mão
(é…)

batendo na mão
partido alto batendo na mão
(todo mundo)
batendo na mão
partido alto batendo na mão
(novamente / outra vez)
batendo na mão
partido alto batendo na mão

(…)


FICHA TÉCNICA — SELEÇÃO E SUPERVISÃO: Waldomiro João de Oliveira / SUPERVISÃO MUSICAL: Moacyr Silva / TÉCNICO DE GRAVAÇÃO: Norival Reis / ESTÚDIO: Haway, Rio de Janeiro / CAPA: Ciro Ney.

Considerações finais

Espero que você tenha gostado desse post com o álbum do “Rei do Patido Alto” Xangô da Mangueira, lançado em 1972 pelo selo Copacabana.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *